Impresso em: 21/05/2018 17:25:09
Fonte: http://www2.redeto.com.br/noticia-7311-centros-de-reabilitacao-terao-r-3-6-mi-para-ampliacao.html

Centros de reabilitação terão R$ 3,6 mi para ampliação

04/12/2013 16:58:09

Aldemar Ribeiro/ATN
Com 60 anos, Lucas Sobrinho começou as sessões de fisioterapia nesta semana, após um Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O Ministério da Saúde (MS) anunciou que vai liberar R$ 3,6 milhões para obras de ampliação de dois Centros Especializados em Reabilitação (CER) no Tocantins, além de habilitação de outra unidade no estado. A iniciativa faz parte do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Viver Sem Limite, que completa dois anos.

Os CER poderão receber veículos adaptados para o transporte ponto a ponto das pessoas com deficiência que não apresentam condições de mobilidade e acessibilidade autônoma aos meios de transporte convencional ou que manifestem grandes restrições ao acesso e uso de equipamentos urbanos. O Ministério da Saúde também vai qualificar o atendimento odontológico de pessoas com deficiência em dois Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) no estado.

CER no Estado

São três os Centros de Reabilitação no Tocantins, nas cidades de Palmas, Araguaína e Porto Nacional. O serviço tem o objetivo de dar atendimento multiprofissional para a reabilitação de pessoas com deficiência incapacitante de média e alta complexidade. Os pacientes recebem acompanhamento multiprofissional de assistentes sociais, fisioterapeutas, enfermagem, fonoaudiólogos, neurologista, nutricionista, ortopedista, oftalmologista, pediatra, psicólogo e terapeuta ocupacional.

“Trabalhamos buscando a readaptação e reabilitação de todos os problemas em decorrência de algum prejuízo motor ou intelectual. O tratamento varia de acordo com a deficiência que a pessoa apresenta e o grau. A partir daí vai ser estabelecido, junto com a equipe multiprofissional, projetos terapêuticos que visam o bem estar da pessoa, bem como também a inclusão e integração social”, explica Liliana Pereira, gerente de Atenção a Saúde da Pessoa com Deficiência da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

O usuário do serviço recebe todo o tratamento necessário a sua reabilitação, que inclui a aquisição de órtese, prótese e meios auxiliares de locomoção que são comprados pelo estado, conforme tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), e solicitação do médico do serviço.

Após um Acidente Vascular Cerebral (AVC), no mês de outubro deste ano, Lucas Sobrinho, de 60 anos, começou as sessões de fisioterapia nesta semana, procedimento necessário, por conta das sequelas do AVC, como a paralisia do lado esquerdo do corpo e dificuldades na fala. Eliety Sobrinho acompanha o pai no tratamento. “Já está tendo resultado, ele está mais alegre, contente e mais atento. Sem falar nos profissionais que são excelentes”, diz a filha.

O pequeno Victor Hugo, de 1 ano e 2 meses, passou por cirurgia ortopédica por conta de uma má formação congênita no pé esquerdo. Após o procedimento cirúrgico, ele faz fisioterapia há três meses no CER de Palmas. “Ele faz fisioterapia duas vezes na semana, os profissionais cuidam muito bem dele. Está sendo importante para o desenvolvimento, já começou a andar. Se não fosse a fisioterapia ele teria de passar por mais um cirurgia”, conta a mãe da criança, a cabeleireira Mayara Araújo.

“Quando a criança tem alguma deficiência, até o brincar fica difícil. Neste tipo de caso a função da fisioterapia e da terapia ocupacional é habilitar a criança para o brincar”, salienta a fisioterapeuta Renata Alves. Em 2012 foram atendidos no CER de Araguaína, 7.100 usuários, em Palmas, 5.300 e em Porto Nacional, 7.768. Destes atendimentos foram solicitados quatro mil procedimentos de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção.

Viver Sem Limite

Lançado em 2011, o Viver Sem Limite tem como o objetivo ampliar o acesso e a qualificação do atendimento às pessoas com deficiência, permanente ou temporário, no Sistema Único de Saúde (SUS) com foco na organização do cuidado. Até o momento, já foram investidos R$ 833 milhões da Saúde da Pessoa com Deficiência para expandir e aprimorar o programa.

Pelo Plano, foram incorporadas ao SUS em agosto deste ano novas Órteses, Próteses e Meios Auxiliares de Locomoção (OPM): cadeira motorizada, equipada com motor elétrico, e a cadeira monobloco, de mecânica favorável à propulsão e manobras em terrenos acidentados. Foram incorporadas ainda a cadeira de rodas para pessoas acima de 90 quilos, para banho em concha infantil, com encosto reclinável, com aro de propulsão, e a adaptação postural em cadeira de rodas. Outra nova incorporação é um dispositivo auditivo para crianças de 5 a 17 anos com deficiência auditiva matriculadas no ensino fundamental I e II e ensino médio. O acessório, acoplado ao aparelho auditivo, elimina o excesso de ruídos e permite a melhor interpretação do aluno.

 

Da ATN